9 de fev de 2015

Metropolitano x Guarani o que falar

Amigos o jogo de ontem (08) entre Metropolitano 0 x 2 Guarani foi do peru (diria Zé Crocodilo). O jogo em sim foi ruim tecnicamente, marcado pela falta de qualidade demonstrada principalmente pela equipe da casa. A insistência com alguns jogadores da base já beira o ridículo, é forçar as leis da natureza. 
O esquema tático montado pelo treinador com 3 atacantes, foi o principal responsável em campo pela derrota da equipe verde de Blumenau, aliado a má atuação individual de praticamente toda a equipe. O treinador Pingo inventou sim, mas alguns jogadores com mais experiencia aceitaram a derrota de forma muita passiva. 

O zagueiro e capitão Elton chegou a comentar em entrevista a Rádio Nereu Ramos que de certa forma o grupo não acreditava no Guarani, ou que o bugre da Palhoça pudesse derrotar o Verdão no Sesi. Subestimaram a força de vontade e aplicação tática do time de Amaro Jr. Deu no que deu, a bola pune já diria o professor Murici Ramalho, é isso? O Guarani sempre apronta no Sesi diz o histórico e ninguém acreditou. 

Bom falar sobre vitória é sempre mais prático e fácil, para todos, imprensa e jogadores. Já na derrota, até o treinador que sempre vem cedo para a coletiva ontem demorou além da conta; e com isso surgiu as especulações de praxe: Estava de saída ou estavam saindo com ele. Felizmente nenhum nem outro esta firme no cargo pelo menos até o próximo jogo. Pingo reconheceu o erro na escolha da opção tática e chamou a responsabilidade para ele, tudo normal. Já a conversa entre Pingo e o Presidente Marcelo Georg no vestiário, bom essa só deus sabe e não conta a ninguém. 
Foto: Divulgação CA Metropolitano

A sede do Clube amanheceu pichada, acho que era desnecessário isso, mas deu uma dimensão do descontentamento do torcedor (ou de alguém). A Diretoria está numa sinuca de bico, sabe que precisa de reforços e não tem dinheiro para isso. A tacada terá que ser de mestre, ou a vaca vai pro brejo. 

É isso galera, mas minhoca e o jogo; jogo que jogo. 

Abraço.